Posts

5 sintomas do refluxo e como tratar esse problema

O refluxo é uma condição caracterizada pela inversão no sentido dos ácidos presentes dentro do estômago para o sentido inverso ao natural, ou seja, da boca. Como o esôfago e outros tecidos da região da boca e da garganta não são preparados para lidar com essa acidez, acontecem a irritação e a dor no local.

Essa é uma condição bastante comum, por isso vamos comentar sobre os sintomas do refluxo. Assim, você pode saber um pouco melhor se tem a condição e se está na hora de procurar um médico para iniciar um tratamento.

Estudos apontam que uma em cada dez pessoas sofre de refluxo, muitas vezes sem nem se dar conta da situação. Observe atentamente o texto a seguir.

1) Azia

A azia é o principal e mais conhecido dos sintomas do refluxo. Ela é caracterizada pelo momento exato em que o problema acontece e os ácidos estomacais sobem até o esôfago, trazendo uma sensação imediata de queimação.

2) Tosse

Ao contrário da azia, as tosses dificilmente são caracterizadas pelos pacientes como sintomas do refluxo. Isso acontece porque associamos a tosse normalmente com problemas respiratórios, mas esquecemos que o esôfago faz parte dessa linha de comunicação e, quanto irritado, pode causar alterações desse tipo.

3) Dor torácica aguda

Assim como no caso da tosse, a dor torácica costuma gerar confusão entre os pacientes que sofrem de refluxo. Confundida normalmente com problemas cardíacos, ela pode acontecer em maior grau se a pessoa se abaixar ou se estiver deitada.

4) Perda de peso

Se estou perdendo peso, está tudo bem, certo? Nem sempre. O refluxo é uma indicação de que o aparelho digestivo não está funcionando corretamente e a perda de peso também pode ser um dos sintomas do refluxo, mesmo que pareça algo bom.

5) Dor de estômago, laringe ou faringe

Os ácidos estomacais têm a função de digerir os alimentos que consumimos e devem seguir adiante para o intestino. Quando eles tomam o sentido contrário, causam a irritação dos tecidos que encontram pelo caminho, podendo provocar dores no estômago, na laringe e na faringe. A dor, em geral, é um dos sinais mais típicos do nosso corpo de que algo está errado e não deve ser ignorada, principalmente quando se torna crônica.

Causas e tratamento

A doença, assim como os sintomas do refluxo, costuma ser causada por problemas alimentares, seja em curto ou no longo prazo. Uma única refeição em excesso, seguida por um período de sono, já é suficiente para desencadear o refluxo.

Há outros fatores de risco, como o consumo de bebidas alcóolicas em excesso e o hábito do fumo. Eles podem diminuir a quantidade de ácido no estômago, uma das causas do problema. Outros fatores, como a gravidez e a obesidade, podem causar o refluxo – já que podem exercer pressão sobre o diafragma e permitir que os ácidos escapem do estômago.

Os tratamentos são mais simples do que se imagina e se baseiam em meios de vida mais saudáveis, principalmente no que se refere à dieta. Comer alimentos naturais, em vez de processados e evitar frituras, comidas açucaradas e gorduras em excesso são passos para combater a doença.

Cortar o cigarro e diminuir o consumo de álcool são outras, além de investir na diminuição do estresse, um conhecido potencializador dos sintomas do refluxo. Para isso, é importante controlar melhor as refeições, balanceando as quantidades e nunca comendo muito de uma só vez. A dieta, em conjunto com uma rotina de exercícios, também combate a obesidade.

Apesar dessas dicas servirem para qualquer pessoa, é sempre importante procurar um médico para fazer o diagnóstico e nunca tomar qualquer medicação sem receita.

Deixe seu comentário abaixo para enriquecermos essa discussão.

Quais as diferenças entre dieta e reeducação alimentar?

Dieta e Reeducação Alimentar

Uma das buscas mais feitas no Google todos os anos é “como emagrecer”. Em busca de soluções rápidas e milagrosas, ano após ano, as indústrias farmacêutica e alimentícia colocam no mercado novos remédios e alimentos que prometem emagrecimento rápido, saciedade e mudanças físicas e comportamentais permanentes.
Porém, o emagrecimento permanente é algo que vai além de seguir dietas, tomar remédios e substituir alimentos calóricos por suas versões diet e light. Para que você possa entender mais sobre as diferenças entre o emagrecimento por dieta e o emagrecimento por reeducação alimentar, elencamos as principais diferenças.

1 – Dieta tem receita e prazo determinado:

Mesmo as dietas de programa alimentar como a Dukan ou a Atikins têm prazos determinados para otimização de seus resultados de emagrecimento que, com o tempo, diminuem.

 

2 – Reeducação alimentar é um estilo de vida:

O processo de reeducação alimentar vai além de substituir ou parar de consumir tipos de alimentos. O processo de reeducação alimentar é, realmente, se reeducar e fazer escolhas mais saudáveis para a sua alimentação.

3 – Na reeducação alimentar, o emagrecimento é uma consequência:

Enquanto as receitas de dieta estipulam quantos quilos serão eliminados num curto prazo através da privação alimentar, o processo de reeducação ensina a importância de fazer pequenas refeições ao longo do dia e os tipos de alimento adequados a cada refeição. Os objetivos de uma reeducação alimentar podem ser variados – sejam eles uma qualidade de vida melhor, o controle de doenças como a hipertensão ou a diabetes e até a própria obesidade.

 

4 – O acompanhamento médico é essencial:

É comum que as pessoas sigam dietas vistas em revistas ou na internet, ou que sejam apresentadas a elas por conhecidos. O maior problema em seguir uma dieta restritiva sem acompanhamento médico é a perda de líquidos e massa magra, ao invés de eliminar gorduras. No caso da reeducação alimentar, o acompanhamento de profissionais médicos e nutricionistas também é primordial para que a pessoa conheça melhor os alimentos que está consumindo e faça escolhas mais saudáveis para si.

5 – O uso de remédios deve ser acompanhado por médicos:

Cabe ao médico prescrever ou não medicamentos moderadores de apetite, de acordo com exames e objetivos do paciente. Como os remédios moderadores de apetite afetam diretamente o sistema nervoso, eles devem ser usados apenas em casos críticos.
6 – É importante adotar um estilo de vida mais saudável: os resultados de emagrecimento de uma reeducação alimentar estão diretamente ligados a hábitos mais saudáveis que vão além de comer melhor, dentre eles: dormir pelo menos 7 horas seguidas por noite, praticar exercícios físicos com regularidade, evitar estresses e realizar check ups médicos anuais.

 

A Clínica Vivere Sanus, cujo tema significa vida saudável, surgiu da conversa entre dois ginecologistas, Dr. José Bento de Souza e Dr. Sang Cha, quando o assunto era a reclamação dos homens quanto a falta de um especialista que pudesse avaliar a sua saúde de forma global, atendendo suas necessidades e não limitando apenas as rotinas cardiológicas e urológicas. Homens não gostam de ir ao médico e, com exceção dos urologistas, todos os outros especialistas atendem um número muito maior de mulheres do que de homens. Essa negligência com a própria saúde tem raízes culturais e a relutância muitas vezes está associada à ideia de que admitir a possibilidade de doença é uma “fraqueza” incompatível com a masculinidade. Isso faz com que as doenças nos homens sejam diagnosticadas mais tardiamente, acarretando pior prognóstico e encurtando a expectativa de vida. Frente a esta lacuna, estruturamos a Clínica Vivere Sanus com o objetivo de oferecer uma avaliação minuciosa e ampla da saúde masculina, com a finalidade de prevenir doenças crônicas, oferecer a modulação hormonal quando necessária e corrigir os distúrbios de composição corpórea, em particular a obesidade. De modo geral, o homem não dispõe de tempo para cuidar de sua saúde, e muitas vezes, não possui paciência para fazer todos os exames. Assim, a Clínica Vivere, com intuito de tornar a visita médica mais produtiva e resolutiva possível, oferece aos clientes a possibilidade de realizar todos os exames de imagem e laboratoriais necessários no mesmo dia da consulta, agilizando assim, o diagnóstico e o tratamento. O objetivo final é oferecer ao homem uma vida com qualidade, atuando na nutrição, atividade física, no âmbito psicológico, modulação hormonal e prevenção de doenças crônicas.