outubro rosa

Outubro Rosa: A importância do diagnóstico precoce do câncer de mama

Outubro rosa é uma das campanhas de saúde mais conhecidas no mundo todo. Essa repercussão é mais que positiva e revela o envolvimento de diferentes esferas, governamentais ou não, na luta contra o câncer de mama e na importância do diagnóstico precoce desta doença. Mas o que você sabe desta campanha e sobre essa doença que, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), deve atingir a marca de 600 mil casos até o final deste ano?

O assunto é sério e precisa da sua atenção, seja você jovem, adulta ou da terceira idade. Todos precisam conhecer mais detalhes sobre este problema sério. Alguns casos avançados da doença são diagnosticados sem qualquer autoexame, o que às vezes pode adiar a cura do problema e diminuir as chances de um tratamento eficaz. O número de casos citados acima é uma previsão do próprio INCA feita no final de 2015 com prazo para o final deste ano. Além deste números, outros dão uma noção exata do mapa da doença e reforçam o objetivo da campanha: a conscientização.

Outubro Rosa e o Câncer de Mama

O dia 19 de Outubro é o Dia Internacional do Câncer de Mama. É nesta data que muitos países do mundo, inclusive o Brasil, realizam ações para alertar sobre a doença e lembrar da importância do diagnóstico precoce, aumentando assim as chances de um tratamento eficaz. Só para se ter uma noção, o câncer de mama é o tipo de câncer que mais mata mulheres no mundo todo, segundo os dados de 2012 da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer.

Justamente para mudar as estatísticas é que a campanha mundial do Outubro Rosa cresce em diferentes regiões e fala da importância do acompanhamento médico e do autoconhecimento sobre o corpo.

 

A importância do autoexame

A campanha Outubro Rosa tem como objetivo reforçar a importância do autoexame. Um levantamento feito pelo INCA aponta que 66,2% dos casos de câncer de mama são descobertos pelos próprios pacientes que notaram algum tipo de mudança na região dos seios. Esse cuidado é fundamental!

 

Depois do autoexame, quando percebido algum nódulo, é importante procurar um médico imediatamente para realizar os exames necessários para identificar a alteração, confirmando ou não o câncer. Outro ponto crucial é o paciente seguir as orientações do médico durante todo o tratamento.

Caso o paciente não consiga identificar a alteração, o ideal é procurar um médico para verificação da região, se há ou não qualquer sinal da doença.O especialista certamente indicará a mamografia para verificar se há ou não algum tipo de câncer na região dos seios.

O principal exame para diagnosticar o câncer de mama

A ida ao médico para a prevenção do câncer de mama é fundamental. Mesmo sem suspeitas, as mulheres devem realizar anualmente o exame mamográfico, indicado principalmente para as mulheres entre 40 e 69 anos de idade.

A mamografia é um exame que avalia as mamas. O equipamento é igual ao do raio-X e é chamado de mamógrafo. O exame tem a capacidade de verificar se há lesões e até cânceres na região. O procedimento normalmente é agendado e demora cerca de uns 15 minutos, entre o tempo do paciente se arrumar, o exame ser feito e o médico finalizar o atendimento.

Na hora de fazer o exame a mulher precisará colocar um avental apropriado para este momento. O indicado é remover qualquer item ou acessório que possa interferir no exame, na produção da imagem radiográfica. Aliás, é sempre indicado que a mulher use uma roupa leve para facilitar a troca de vestimenta e para não incomodar as mamas no período pós-exame.

Já com o avental, a mulher fará o exame em pé. O raio-x é feito em cada mama, pelo menos uma vez. Os seios são comprimidos firmemente entre duas placas com o objetivo de distribuir todo o tecido mamário, facilitando assim a imagem e, consequentemente, o diagnóstico. O exame naturalmente incomoda a mulher, mas jamais deve machucar a região.

É normal também quando o exame precisa ser refeito em alguns casos. As imagens capturadas são analisadas rapidamente pelo profissional que está fazendo o exame e, se ele julgar necessário a partir de alguma alteração suspeita, orientará a repetição do exame para uma ampliação detalhada de determinada região da mama.

A repetição do exame não significa que a paciente está com câncer, mas sim que o exame está sendo feito com atenção e dedicação. Quando há dúvida ou se percebe uma alteração, o melhor é verificar todas as possibilidades para que o médico que acompanha o caso verifique e inicie o tratamento, independentemente do tipo da doença.

Os resultados do exame variam de dois a sete dias para ficarem prontos, dependendo do local onde foi realizado o exame.

 

Como surgiu o Outubro Rosa

A campanha surgiu como resposta do primeiro ato realizado em Nova York, numa corrida pela cura em 1990, que acontece até hoje. Mas, foi só em 1997 que a campanha ganhou uma proporção ainda maior. Entidades que tratam sobre o tema iniciaram atividades voltadas ao diagnóstico e conscientização sobre a doença em Yuba e Lodi, cidades também dos Estados Unidos.

Aqui no Brasil a campanha completa 15 anos. Não há um evento específico que deu início ao movimento de conscientização aqui no País, mas o que se sabe é que o primeiro sinal da campanha surgiu em outubro de 2002. O primeiro monumento a receber a cor rosa, símbolo da campanha, foi o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo.

A campanha passou a ganhar força a partir de outubro de 2008, quando várias cidades brasileiras passaram a iluminar pontos importantes da cidade com a luz rosa, como pontos turísticos e prédios públicos.

 

Câncer de Mama também pode atingir homens

Apesar da campanha Outubro Rosa utilizar a cor para identificar um problema que ocorre mais nas mulheres, o câncer de mama também pode afetar homens. Pode ser raro, mas não é impossível que o câncer se desenvolva.

De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), os homens representam 1% do total de casos de câncer de mama no País. Além disso, apesar de raro, o câncer pode se desenvolver a partir dos 50 anos. Portanto, os homens também precisam ficar atentos.

 

Como participar do outubro Rosa?

A melhor forma de participar da campanha do Outubro Rosa é alertando familiares e amigos sobre o problema e também indo ao médico para um acompanhamento de rotina. Uma boa conversa com todos, principalmente com as mulheres, pode incentivar uma visita ao médico ou até mesmo um autoexame. Já vimos aqui o quanto é importante um diagnóstico da doença logo no começo e como isso pode influenciar no sucesso do tratamento.

Outras ações podem também alertas as pessoas, como a iluminação rosa, o que sempre fazemos aqui na Clínica, o uso do símbolo da campanha, o laço rosa, e até mesmo o compartilhamento de informações importantes da campanha e da doença nas redes sociais, como este artigo esclarecedor sobre o tema.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *